Translator

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

sábado, dezembro 29, 2012

GILSAM E BANDA AIRIYÊ






















 ----------------------------------------------------------------------------
Artista, músico e compositor baiano ,Gilsam tem sua própria banda,a Airiyê. Suas marcas nunca passam despercebidas, por ser inevitável remover as Raízes Negras de dentro de nós. Sempre que tentarmos fazer isso, estaremos nos deparando com um forte latejamento por meio da influência do Reggae, Blues, Soul e o carisma Nordestino. Suas músicas e letras retratam a nossa alma afro-descendente e nossa luta pela vida e liberdade de ser.. Gilsam,trabalhou nas composições dos seus discos solo ´Reggae Para Todos´ e ´Tenda´, como também em canções que estão sendo preparadas para um próximo disco. Questões como algumas das mazelas sociais e a pobreza musical da atualidade também são discutidas nas letras do artista.  Formou com Dionorina e Jorge de Angélica o grupo Trilogia do Reggae,e Dionorina é um artista de renome internacional, com várias investidas no mercado europeu e, Gilsam e Jorge de Angélica têm um trabalho que repercute no Brasil inteiro, dentro das mais variadas comunidades regueiras..
----------------------------------------
http://reggaemaster2011.blogspot.com.br/

domingo, dezembro 02, 2012

PÉRINHO SANTANA
















-----------------------------------------------------------------------
O músico Périnho Santana partiu para Zion .Périnho Santana,um artista de grande coração,sensibilidade musical, exelente guitarrista,arranjador,compositor,enfim um músico de primeiríssima linha,pelos trabalhos que fêz nos discos de Luiz Melôdia,Caetano Veloso e Gilberto Gil,ele se encontra agora em uma tour sem volta junto do papai do céu,porém tocando e cantando como sempre gostou,meu triste adeus á você Périnho !!
 Périnho Santana, 63,anos não resistiu a uma parada cardíaca e morreu na noite de sexta-feira 30 de Novembro de 2012 no Rio de Janeiro.
O corpo do artista foi velado até às 14h no sábado (1º) no cemitério São João Batista, em Botafogo, zona sul do Rio, e depois foi embalsamado e encaminhado para Salvador (BA), onde também seria velado.
R.I.P..Rest in Peace..
----------------------
by Dagô Miranda

sábado, novembro 24, 2012

RÚSTICA FACE










 ---------------------------------------------------------------------------
Rústica Face. Cidade de origem: São Gonçalo ,RJ. Formada em: 2011. Estilo predominante: Roots.  Segundo Artur Pereira, vocalista, guitarrista e principal compositor da banda, o termo Rústica Face significa manter a fé em seus princípios mesmo vivendo em meio ao caos, ou seja, manter a raiz mesmo na selva de pedra. E foi partindo desse princípio que surgiu a banda Rústica Face foi formada em 2011, na cidade de São Gonçalo- RJ. A banda resulta da união de amigos de longa data, que buscando ter uma voz mais ativa socialmente, decidiram se juntar para expor suas impressões, interpretações e insatisfações com o modo de vida da sociedade atual. Apesar de a banda ser nova, os seus integrantes já têm uma longa experiência musical. Essa união resultou em um som de forte influência reggae e com pitadas de hip-hop e dub. A banda se prepara para gravar seu álbum de estréia e decidiu disponibilizar 4 demos de músicas que estarão no CD..
 Membros
Artur Silva: baixo e voz
Fabiano Firmo: bateria
Rafaela Oliveira: teclados
 --------------------------------
http://www.agendareggae.com.br/

sexta-feira, novembro 16, 2012

FABIANA RASTA






















 ----------------------------------------------------------------------------
Fabiana Rasta é uma Cantora de reggae,vocalista da Capital Roots ,Local de São Luís.Vocalista do  reggae roots em São Luís do Maranhão,a Jamaica Brasileira! Interesses : violão, canto, contrabaixo, leitura, filmes, estudo constante Filmes favoritos :Filmes épicos;O pai ó;Mississipi em chamas;James Bond-Cassino Royale;Malcom X;Che Guevara;Infância Roubada... Músicas favoritas   Soul, jazz, reggae, clássica, instrumental, gospel, salsa. Livros favoritos : Bíblia;O Mulato;O que toda mulher inteligente deve saber;O sucesso é ser feliz;A alma do homem sobre o socialismo;Desvendando os segredos da linguaguem corporal..
Fabiana Rasta é uma pessoa de muitas idéias,altamente criativa e como cantora,compositora e musicista que é,trazia há tempos em mente a idéia de montar um trabalho musical onde o foco fossem suas composições,porém,tudo  na vida tem seu tempo e apesar de estar trabalhando com reggae há dez anos em São Luís,ainda não havia encontrado o momento certo para isso. O ano de 2012,graças a Jah foi um ano de grande crescimento musical em sua vida,então elegeu este ano para dar início a este trabalho diferenciado.Por que diz diferenciado?Porque na sua banda faz um trabalho e na Banda Capital Roots,faz outro,ao contrário do que muitos pensam,ela me afastou da Banda pois essa também é sua banda do coração,onde há um ano teem aprendido e se desenvolvido bastante,aliás estão em uma ótima fase de entrosamento e não há nenhum motivo para eu parar minha caminhada com eles.Diga-se de passagem, a sua ligação com a banda vai além da música pois Fabiana e o Amorim(líder da banda)são muito amigos e foi convidada pessoalmente por ele para integrar seu grupo e quando todos pensavam que Fabiana não iria dar conta do recado,ele sempre esteve lá acreditando nela,então por isso,a sua união com a Capital vai continuar até enquanto Jah e Amorim quiserem e se um se aventurarem por caminhos diferentes,ainda sim serão amigos e trabalhando lado a lado pelo nosso reggae pois não há clima de desunião ou competição,na música há espaço para todo tipo trabalho..
-----------------------------
http://fabianarasta.blogspot.com.br/

quarta-feira, novembro 07, 2012

RAMA RUANA















------------------------------------------------------------------------------
Transformar sentimentos e pensamentos em canções e imagens, esperando que estas mesmas despertem uma consciência crítica é o desafio da família Rama Ruana. Formada por Evandro Cruz (voz e Flauta), Ricardo Noronha (baixo), Marcelo Magaldi (bateria), Bruno Machado (teclado), Rafael Velloso (carvão e pincel) e Bruno Tardio (guitarra), a Rama Ruana é uma banda juizforana que acrescentou às raízes do reggae jamaicano um pouco do rock progressivo, música mineira e MPB. A amizade, a crítica e o gosto em comum pelos estilos mantêm a banda desde 1999, onde vem se apresentando constantemente nas principais casas e eventos culturais em cidades de Minas Gerais e Rio de Janeiro, resultando o sincero e árduo trabalho num público fiel, que acompanha sempre a banda. Gravou o primeiro CD “Rama Ruana Volume 1” em 2004, de modo totalmente independente, lançado em 2005, teve excelente aceitação. São muitos artistas e bandas que influenciam, vale citar Bob Marley, Pink Floyd, Jethro Tull, Milton Nascimento, Gilberto Gil, The Doors, Steel Pulse, The Police, Mutantes, Third World etc. A mistura do reggae com o rock progressivo, ganhou o peso também do samba na nova trajetória, que é o segundo CD “Rama Ruana volume 2”, gravado na capital carioca em parceria com Hamilton Augusto e Top Cat Produções Artísticas,será lançado em 2008. O plano da banda em conjunto com o pintor Rafael Velloso é fazer uma trilogia subjetiva em torno dos 3 CD’s inicias, demonstrando com desenhos, sons e personagens um período da vida do nativo/andarilho “Anaur”. As músicas contém desenhos mágicos, junto com personagens e passagens, aumenta a sensibilidade para sentir o intenso desafio, que é expressar as injustiças que amargam o Brasil desde os índios, e valorizar o sentimento bom que existe nos homens. No palco o artista plástico Rafael Velloso também sobe para desenhar telas ao vivo com carvão, inspirado na energia do som e do momento. O show da banda conta com as canções dos 2 primeiros álbuns, além de músicas que não foram gravadas, antigas e mais novas, registrando os desenhos e imagens no telão, além das belas telas. .
------------------------
 www.myspace.com/ramaruanamg

quinta-feira, outubro 18, 2012

DUB BROWN















---------------------------------------------------------------------
Conta à história que a música reggae chegou ao Maranhão na década de 1970, através das rádios sintonizados em ondas curtas (costume do povo local).  Outros contam que a chegada de grandes embarcações trazendo vários produtos, entre eles o disco de vinil, acabou sendo um material de troca e venda possibilitando conhecer mais sobre esse ritmo. Logo as rádios locais começam a “rolar” algumas faixas desse estilo de música. Conjuntamente com a introdução desse estilo de música na cultura maranhense, as radiolas (grandes aparelhagem de som) começam a produzir festas com esse som. A partir dai inicia a busca incansável das “músicas novas” para rodar nas radio e radiolas do Maranhão. Esse processo da "novidade" é um grande marco que movimenta essa atividade cultural, a busca das músicas exclusivas. O movimento reggae tem suas fases no Maranhão. Durante as festas é comum os DJs falarem: “Tocando as músicas de sucesso da década 70, 80, 90 e atualidades”; é bom deixar claro que tais décadas são quando as músicas foram tocadas no Maranhão. Não é um erro ou equivoco dos DJs e colecionadores de reggae do Maranhão... É só um marcador para diferenciar a seqüência... Mais recentemente surguiu uma vertente do reggae chamada reggae eletronico ou "robozinho". Uns dos cantores mais influentes desse estilo é Jose Lobato, mais conhecido como Dub Brown. Sua música é tocada praticamente em todas as radiolas de reggae do Maranhão, e trabalha com outros grandes nomes do reggae,como o cantor jamaicano radicado no Maranhão Sly Foxx..
---------------------------
http://musicamaranhense.blogspot.com.br/

domingo, outubro 14, 2012

LEVITAS







































 -----------------------------------------------------------------------------
Levitas Reggae começou no ano de 2003 em Brasília – Brasil, através da união de amigos que queriam expressar e vivenciar a musica reggae. Desde então, traz em suas musicas mensagens praticas de amor, justiça e direitos iguais. A banda constrói repertório próprio e sonoridade baseada principalmente no reggae roots da década de 1970. No segundo semestre de 2009 registrou algumas de suas musicas no CD de Divulgaçao independente intitulado“Levitas Reggae”. Uma característica marcante é a presença de palco e a interação com o público, o que faz com que o grupo venha se destacando na cena do reggae no Brasil, tendo se apresentado em vários estados.Ao longo desses anos se apresentou, além do DF, em Santa Catarina, Goiás, Bahia, Paraiba, Sergipe…
Fora do país se apresentou em setembro de 2010 no X Foundation Reggae Festival na Espanha, onde dividiu palco com Everton Blender(Jamaica) e Aswad(UK). Os Principais eventos que a banda se apresentou em Brasília foram: Federal Reggae (com Israel Vibration e The Gladiators) e Tributo a Peter Tosh(como banda de apoio para Andrew Tosh) dentre outros.A banda Levitas Reggae acaba de lançar seu primeiro album entitulado “Gratidão” junto com o Video Clip da música “Eu quero Falar” produzido pela Rede Globo.
Integrantes:
Thiago Godoy - Bateria/Produção Musical. Douglas Gomes - Guitarra; Ivan Carlos - Percussão; Jacob - voz
------------------------------
www.levitasreggae.com

quarta-feira, outubro 10, 2012

GANJAH ZUMBA






















 ------------------------------------------------------------------
A banda Ganjah Zumba começou seus trabalhos em 1998 e encerrou em 2002. O som da banda foi o reggae de raiz (reggae roots), mas é necessário compreender que reggae de raiz não é apenas o baixo grave e a bateria em primeiro plano...Raiz é a mensagem Rastafari . A Ganjah Zumba desenvolveu um trabalho independente, que teve como objetivo a consciência. Depois de dois singles lançados, em 2002 apresentou seu único CD, "Lutar Pra Viver", contendo oito músicas. ....
 Através desse CD muitas bandas de São Paulo começaram e se espelharam na pegada slow beat do Ganjah Zumba. Dos membros da banda apenas dois ainda continuam em atividade musical: Ras Kadhu, Lider e compositor da banda Jah I Ras, e o inspirado baixista da banda Cultivo; Kristian Korus.
-----------------------
http://somroots.blogspot.com.br/2008/05/ganjah-zumba.html

sexta-feira, outubro 05, 2012

RAS POPO ITES






















 ------------------------------------------------------------------
Ras Popo Ites de Salvador, Bahia, Brasil, vocalista do grupo Red Meditation,foi envolvido na música do reggae desde sua juventude. Popo Ites que recentemente lançou seu terceiro album  em 2008 com a gravadora Green Sphere Records´´Brasilian Reggae Sativa´´-Red Meditation Featuring Ras Popo Ites´´,e tem como artistas convidados Ras Attitude,Ras Batch, Luv Fyah e Ras Gumbo participando do álbum.Influenciado pelo reggae das raízes, pelo dub e pelo dancehall Popo Ites trouxe largas novas fronteiras ao mundo brasileiro do reggae, e excursionam atualmente em todo os Estados Unidos e no Brasil. Suportado pela banda original Red Meditation, que se formou na Bahia, Brasil,que estão há 7 anos juntos, e emitem com as suas músicas e letras as mensagem de paz, do amor, da unidade e de fé em RastafarI.
Os temas de Ras Popo nesse seu último álbum são Pai Nosso (Acousti Version)Agradeço pela Vida,Tenho Bom Animo,Favela,É Bom Ser Bom,Afrika,Brasilian Sativa,Mãe Assim,Presença Especial,Glória da Manhã,Crise,Critacas e Pai Nosso (Remix)..
  -------------------------------------------------
http://www.myspace.com/redmeditationbrazil

segunda-feira, outubro 01, 2012

MONTE ZION


 














 -----------------------------------------------------------------------
Monte Zion é uma banda de reggae brasileira sediada e fundada no Rio de Janeiro.Segundo a imprensa, a banda se destaca pela boa execução de suas canções e pelas letras e carisma do vocalista Felipe.Formada em 1999, desenvolve um trabalho musical que tem suas composições direcionadas a um público diversificado. Liderada por Felipe Silva, a banda reflete a sua trajetória de vida transmitindo mensagens positivas.O desmatamento das florestas, a poluição dos oceanos, rios e lagos, a fome e a desigualdade mundiais, as guerras e suas conseqüências, são assuntos destacados nas composições da banda, como um alerta para a necessidade urgente de preservação da natureza e de uma melhoria da qualidade de vida dos seres humanos.A banda tocou com diversas atrações internacionais, como a banda Steel Pulse, e com a cantora Dezarie e o guitarrista e o baixista da banda Midnite, Edmund e Ron Benjamin,além de Pato Banton e Andrew Tosh.Integrantes da banda também mantém o projeto paralelo "Unificação", com membros das bandas "Aliança" e "Raízes que Tocam".Tendo lançado seu primeiro álbum Força, Vida e Luz em 2002, a música de trabalho do álbum Mensagem Verdadeira, "Vida", foi a preferida pelo público, devido à sua grande repercussão no programa "Cidade do Reggae" (Rádio Cidade 102.9 FM atual Oi FM). No álbum "Mensagem Verdadeira", Pato Banton e Andrew Tosh gravaram com a banda, cada um uma faixa no CD.O álbum foi considerado pela crítica como "muito bem elaborado". Em 2010, a banda de reggae jamaicana The Congos participou da gravação da faixa intitulada "Let Jah Arise", além de criar duas composições em conjunto com a banda.
 Integrantes Felipe Silva - Vocal .André Pfefer - Guitarra Base. Thiago Jahbass - Baixo .Jonas Matoso - Guitarra .Maurício Bongo - Bateria .Francisco Sartori - Teclados. Rodrigo Munhóz - Saxofone. Arimatéia - Trompete .
 ----------------------------------------------------
http://pt.wikipedia.org/wiki/Monte_Zion
www.myspace.com/bandamontezion

Discografia


Monte Zion
Informação geral
Origem Rio de Janeiro, RJ
País Brasil
Gêneros Reggae
Afiliações Pato Banton, Andrew Tosh, The Congos, Unificação, Aliança, Raízes que Tocam
Integrantes
Felipe Silva - Vocal
André Pfefer - Guitarra Base
Thiago Jahbass - Baixo
Jonas Matoso - Guitarra
Maurício Bongo - Bateria
Francisco Sartori - Teclados
Rodrigo Munhóz - Saxofone
Arimatéia - Trompete

sexta-feira, setembro 28, 2012

SOUL SHAKERS
















 --------------------------------------------------------------------------
Soul Shakers é uma big-band que surgiu em São Paulo no começo de 2010 com o intuito de interpretar a magnífica obra de Bob Marley. Logo de cara eles já chamaram a atenção do Espaço Urucum, onde passaram a fazer shows mensais, sempre lotando a casa.
O repertório do Soul Shakers passa por todas as fases da carreira de Bob Marley, apresentando versões tão fiéis quanto criativas. O segredo da banda é misturar um grande respeito à obra de Bob, com descontração e celebração, criando um clima que salta aos olhos de quem vai aos shows.
A big-band já rodou bastante nos seus 2 anos de vida, se apresentando tanto em palcos alternativos como o Kabul, a Kitsch Club e o Espaço Urucum até casas já consagradas como o StudioSP, o Estúdio Emme e o SESC Consolação. Também já tocaram em eventos beneficentes e espaços culturais na periferia de São Paulo, marcaram presença em algumas praias de São Sebastião, no interior de São Paulo (Jack Music Pub - Bauru) e em janeiro deste ano fizeram sua primeira turnê na Bahia, passando por Caraíva, Trancoso e Lençóis (Chapada Diamantina).
Para conhecer o Soul Shakers, escute o EP produzido no Estúdio Arsis em São Paulo, que apresenta 4 versões da banda para as músicas do rei, que você pode escutar nesse site abaxo.
________________________________________________________________
Integrantes:
Lucas "Carneiro" - voz
Rô and Lí "Sisters" - backing vocal
Dudu - baixo
Digo - bateria
Leon - guitarra base
Lucão "Spaceman" - guitarra solo
Gabi - percussão
-----------------------
 http://tnb.art.br/rede/tributomarley

segunda-feira, setembro 24, 2012

NEGROOTS






















 ----------------------------------------------------------------------
 Depois de uma pequena pausa, muitos shows pelas casas noturnas de São Paulo, e um notório amadurecimento musical, a banda Negroots ressurge no cenário do reggae music brasileiro, trazendo para o grande público, o segundo CD Paz e Amor.
A rapaziada da Freguesia do Ó, colheu muitos frutos nesses 10 anos de carreira e o novo CD faz parte dessa trajetória de sucesso. Nele, todas as 12 faixas são compostas pelo vocalista Gil Sant'Anna e traduzem os ideais e a filosofia de vida de cada integrante da Negroots. “Queremos mostrar para a galera que a paz e o amor devem sair das letras para serem praticados na correria do dia a dia de cada um de nós”, afirma Gil.
O trabalho levou 5 meses para ser finalizado e contou com a vibe positiva de Samambaia (Planta e Raiz) na produção musical, e a sonzera da banda composta por Danilo nos teclados, Elsinho na batera, Dil na guitarra, Juca no baixo, Papinha na percussão e claro, Gil Sant'Anna nos vocais, sendo lançado no mês de abril no Escondidinho da Amada, reduto dos músicos paulistanos e local onde a Negroots tem presença garantida todo mês.
Direcionado para a galera que gosta de música de qualidade, o Paz e Amor tem sons mais românticos como “Uma rosa pra você” e hits mais dançantes como “Tempo de despertar” e “Paz e amor”. O objetivo principal foi fazer um trabalho para quem curte desde um dub, até o roots. “Esse CD é especial, ele tem a cara da Negroots e marca nossa evolução musical do primeiro para o segundo disco, utilizando experimentos com outros ritmos africanos e suavizando acordes pra atingir o clima de paz e amor.” reforça o vocalista.
Sempre inovando, a Negroots leva a turnê Paz e Amor por diversos cantos de São Paulo, onde a galera pode viajar ouvindo as músicas já conhecidas do primeiro CD (Troque pelo Bom), os novos sons do segundo CD e ainda o grande diferencial musical, que consegue transformar “Faz parte do meu show” de Cazuza e “How deep is your Love” do Bee Gees, em um reggae suave para dançar agarradinho.
Com uma média de 15 apresentações por mês, a banda já passou pelos palcos do Kazebre, Expresso Brasil, Fidalga 33, Status Show entre outros que tocam somente as pedradas do reggae. E não para por aí, a Negroots quer mais e seus músicos se aprimoram a cada dia para levar o melhor som, da melhor maneira para os fãs.
O segundo CD da banda conta com produção musical de Samambaia da Planta e Raiz..
Mas nem tudo são flores, no caminho da Negroots. Existem também algumas pedras que precisam ser superadas todos os dias, isso porque a banda é independente e com essa condição, tem de lutar sozinha por espaço, produção, gravação, divulgação e tudo o que mais necessário for para colocar o som da Negroots na cabeça da galera. “Este mercado depende única e exclusivamente do próprio músico. Hoje ele tem de aprender a ser mais do que somente músico. Ele deve ser produtor executivo, assessor de imprensa, vendedor, ter visão de mercado, ser marketeiro e empresário de si mesmo. Resumindo, no mercado independente o músico deve buscar ser o mais próximo dos grandes para um dia se tornar grande.” conclui Gil...
-----------------------------
 http://www.negroots.com/

sexta-feira, setembro 21, 2012

AFRICAN BAND


































 -----------------------------------------------------------------------------
African Band.Até hoje se ouve falar deles.Por que? Foi a Banda que iniciou juntamente com a Graoara, em 1991, o movimento reggae em Curitiba.
A African Band atraiu um público recorde  na época em todos os locais em que tocou em Curitiba, ficou conhecida praticamente de Norte a Sul do Brasil, tendo oportunidade de juntamente com os também iniciantes Cidade Negra, O Rappa e Tribo de Jah de fazerem shows aqui. Também tiveram parcerias internacionais como com a Universal Youth, Pato Banton e sendo convidados para abrirem o show dos The Wailers banda de Bob Marley.
Enfim, estão se reunindo outra vez para executar os tradicionais “hits” do mais importante nome do reggae jamais conhecido Robert Nesta Marley, o imortal Bob Marley .
E como se diz na Jamaica, uma noite Irie ! (Divertida em Jamaicano) 

------------------------------------------------
 http://www.agendareggae.com.br/noticias.php?id=751&estado=PR

terça-feira, setembro 18, 2012

POSITIVA MENTE






















 ----------------------------------------------------------------------------
A banda de reggae Positiva Mente foi formada em 2006 e em bem pouco tempo o pontencial de tornar aquele projeto em algo mais grandioso ficava mais claro a medida que suas canções eram criadas e o gosto por tocar a música reggae despertava em sua mais perfeita sutileza. O caminho sempre foi muito prematuro e a "tal" Mistica Natural que o Rei Robert Nesta Marley tanto falava, foi sentida logo em sua estréia. E sua terceira apresentação a banda mais uma vez prematuramente subiu ao palco do Festival Regado a Reggae(Itanhaém/SP) e com uma apresentação muito quente foi uma das revelações do festival. A decisão de profissionalizar de vez o grupo foi conduzida naturalmente a medida em que o trabalho se firmava e com tamanha dedicação e amor, foram recompensados com uma agenda de shows digna de bandas com mais de 10 anos de estrada. Em 2009 a banda foi considerada uma das revelações do reggae carioca e em 2010 foi convidada pela Prefeitura do Rio de Janeiro(Riotur) a fechar o Carnaval Carioca para um publico de mais de 15 mil pessoas selando de vez sua posição no cenário do Rio de Janeiro. Isso tudo ainda é considerado pelos músicos como inexpressivo perto daquilo que a banda pretende chegar ainda em sua longa, mas duradoura caminhada. Em suas canções, as mensagens são claras: a Fé, o Amor, a Paz, o Respeito, a Igualdade e o triste cotidiano que atravessa os séculos que é de poucos com muito e os de muitos sem nada. Além da música a banda sonha ainda com um projeto social grandioso em que o amor ao próximo seja o principal combustível.  Louvarei ao Senhor durante a minha vida; cantarei louvores ao meu Deus enquanto eu for vivo - (Salmos 146:2)  Integrantes: Daniel Fya - Vocal .Rone Dub - Baixo. Rodrigo Pires - Bateria .Rafyah Dread - Guitarra Base e backing vocal .Jonas Mattoso - Guitarra Solo. Ras Bruno - Teclados e backing vocal .Roberto Mr. Music - Teclados  .

 ------------------------------
http://www.somjah.com/
http://www.myspace.com/positivamente

segunda-feira, setembro 17, 2012

LION JUMP






















 ------------------------------------------------------------------------------
A Banda Lion Jump surgiu em janeiro de 2001, com o propósito de executar o melhor do ‘roots reggae”. No início, o nome da banda era “Lion Jungle”, mas já em sua primeira apresentação, graças a uma “falha” gráfica por parte da produção do evento, a banda passou a ser apresentada, a partir de então, como a conhecemos hoje. Este nome caiu nas graças do grupo e de todo o público.  A banda é composta por: Elias Santos (vocal e guitarra), Wagner Bahia (baixo), Kássio “Gemada” (percussão), Karlo “Gemada” (bateria) Aderman Costa(trompete e flugelhorn) e Diego Mudinho (trombone). O Lion Jump vem conquistando seu lugar ao sol com credenciais de peso: foi eleita vencedora do primeiro Festival Capixaba de Reggae, lançou em novembro de 2004 seu primeiro CD “Soldado de Jesus”, contendo 12 faixas próprias, incluindo “Ciranda“ e “O Tempo”, músicas de grande aceitação por parte do público capixaba, com execução maciça nas rádios locais e vendagem de 8 mil cópias. Pouco tempo depois, a banda pôs o pé na estrada e foi para São Paulo, onde gravou a pré-produção do seu segundo CD, intitulado “Contra Babilônia”, com 13 faixas próprias, numa fase mais voltada para o “Dub”.  A banda foi influenciada por: Bob Marley, Peter Tosh, precursores do “roots reggae”; Augustus Pablo, grande expoente do “Reggae-Dub”; Gladiators; Israel Vibration; Steel Pulse e muitos outros nomes do reggae mundial, além, é claro da forte influência de clássicos do “rock‘n roll”, como The Beatles, Pearl Jam, dentre outros. A banda teve ainda o privilégio de tocar com figuras expressivas do reggae nacional e internacional, como Pato Banton, Tribo de Jah, Edson Gomes, Adão Negro, Planta e Raiz e Ponto de Equilíbrio e tantas outras.  O quinteto encontra-se, no momento, em fase de finalização de seu segundo CD, intitulado “Clássicos da Favela”, baseado na pré – produção de “Contra Babilônia”. Este novo trabalho aposta em 12 faixas com nova roupagem, sendo quatro delas inéditas, como “Se Não Houvesse Confusão”, em que se mesclam as mensagens de paz e igualdade, com o peso das guitarras e a marcação pulsante da “cozinha” e dos metais. Esta obra conta ainda com participações expressivas de artistas de renome do cenário músico-cultural capixaba, como o já parceiro Alexandre Lima (Manimal) e Fabrício Chattola (Beatbox, dos “Suspeitos na Mira”).  O Lion Jump conta, também, com um elemento fundamental para o êxito de seu trabalho: o carisma de seus integrantes, em especial do vocalista Elias Santos, cuja semelhança física com o Rei do Reggae Bob Marley cria um diferencial marcante no grupo. É óbvio que uma imagem, por si só, não é determinante para o sucesso ou insucesso de uma banda. Somente o retorno do público determina, de fato, sua popularidade neste segmento musical, fruto do talento de todos os componentes. Podemos apostar no crescimento do Lion Jump, cada vez mais evidente...
---------------------------
http://palcomp3.com/lionjump/#
http://www.lionjump.com.br/

sábado, setembro 15, 2012

FILHOS DE HAILE
















-------------------------------------------------------------------------------
A Banda Filhos de Haile, nascida no Recôncavo Baiano (Nazaré / Bahia), celeiro de grandes músicos de reggae , chega no cenário baiano com a proposta do New Roots.
O nome Filhos de Haile, faz alusão ao símbolo da teologia cristã-rastafari, Haile Selassie imperador da Étiopia , o herdeiro do trono de Davi os tenta, entre outros títulos, os de Rei dos Reis e Senhor dos Senhores. Por seu enorme carisma e forte liderança em favor das nações e etnias oprimidas, em todo o mundo, Selassie começou a ser considerado como "Cristo", em sua significação original, Chrestos, ou seja, ungido, o Filho de Deus, o Messias negro, a reencarnação do próprio Jesus de Nazaré...
------------------
 http://palcomp3.com/filhosdehaile/#

sexta-feira, setembro 14, 2012

ANDRÉIA DACAL






















 -----------------------------------------------------------------------
A cantora e compositora fluminense Andréia "DacaL" faz um compêndio de dub com música urbana. Começou a divulgar os primeiros singles do seu primeiro álbum, ´Caos Roots Controle´, em 2005, no Myspace. O disco foi oficialmente lançado em 2007 e atraiu atenções desde o primeiro momento, bem como novas parcerias fora do Brasil.
Andréia, de personalidade elétrica, espontanea e inventiva, sempre se manteve em movimento , fomentando a música e a cultura de sua cidade natal , Niterói. Atuou em inúmeras frentes de trabalho para a disseminação da produção musical underground na cidade a partir do fim dos anos 90, no skateboard atuou como atleta, produtora de circuitos de skate, na midia especializada escrevendo para portais do gênero, na cultura e informação atuou como jornalista e editora de midias eletronicas voltadas para a divulgação da música reggae no brasil em intercambio com o mundo, como promotora de eventos, divulgadora, assessora, jornalista, produtora, musicista….Dacal não parou nos ultimos 15 anos de se articular seguindo o verdadeiro espirito do “believe yourself”. Amadureceu e desenvolveu seu estilo critico , reflexivo e positivo de cantar e interpretar sua poética, sob um mix sonoro envolvendo várias tendencias e escolas musicais, das tradicionais as contemporaneas, com tempero, sempre presente, de sua maior influência: o reggae jamaicano., sem perder o tempero e essência da música e dos ritmos brasileiros.
O primeiro album da cantora, Caos Roots Controle, lhe rendeu convites para shows em cidades do eixo Sul – Sudeste, indicação e participação de grandes festivais e eventos que abrem para os novos expoentes da cena, tais como Hutuz , Mola Cultural do Circo Voador (RJ), Grito Cultural Reggae em São Miguel Paulista, Festival Rio com Vida , Circo Voador (RJ), Festival Reggae Movimento # 3 com atrações nacionais e internacionais também no Circo Voador (RJ), Lona Cultural Sandra de Sá , Bangú (RJ), dentre inúmeros outros eventos culturais.. Rendeu-lhe também fazer parte da trilha de dvd´s de surf e skateboard, como o “Quem se habilita?” lançado pela revista 100% skate, e Festival Earthwave Rico Surf 2009, pelo portal Rico Surf.
Em março de 2010 lançou seu segundo album na rede “Afirmativa” pelo disputado netlabel francês “Fresh Poulp” , especializado em urban music. O album conta com 10 faixas distribuidas em 8 parcerias que resultaram no disco que compõe a tour deste novo trabalho que irá se estender até meados de 2011. A repercussão do album após o lançamento foi tão positiva que em julho , Andréia embarcou para sua primeira tour internacional organizada pela Fresh Poulp em parceria com a Creative Coomons – França e DogMazic..
 A originalidade e qualidade do álbum, com produção musical assinada por Bruno Marcus (Tomba Records) e co - produção de Andréia Dacal, o trabalho de produção artistica e design do mexicano Sr. Calavera atraíram atenção e convites de grupos e produtores de música dub e electro de Portugal, Itália e Inglaterra. Estas intensas ligações artísticas acabaram por promover naturalmente o trabalho da artista, que sempre produziu a sua música ao lado de nomes talentosos da cena musical undeground e avant-garde. Dacal hoje vive momentos de grande inspiração, tendo lançado em 2010 o segundo album "Afirmativa" pelo netlabel francês Fresh Poulp, de quem é parceira e representante até o momento. Ainda em 2010 realizou uma tour passando por França, Belgica e Marrocos, ao lado dos parceiros internacionais. Celebrou o terceiro álbum "Paradoxos" em 2011, com produção musical dos franceses Guitoud e Rafiralfiro.
  Em fevereiro de 2012 Andréia Dacal participou do Festival "Rota das Letras" em Macau / China e segue dando continuidade a sua produção criativa nessa caminhada musical repleta de aventuras, inspirações, integrações e positivos intercâmbios e iniciativas...
-----------------------

quinta-feira, setembro 13, 2012

RAS ITAL B



















 --------------------------------------------------------------------------
Nascido em São Paulo (Brasil) e criado em Brabise (Guyana), Ras Ital Bispo El-Athon inicia-se musicalmente em 2003 com a familia Congo Nya, (Fundação nascida na Guyana em 1980,que
atua no resgate da cultura ancestral africana e o nyabinghi).
Em 2006, o grupo se divide; a parti daí Ras Ital B começou sua carreira solo como músico e compositor.Profundamente influenciado pela cultura "Nyabinghi", e sua música mística; manteve o ritimo ancestral como base de seus trabalhos, sendo um dos principais difusores da cultura na Colômbia através de works-shops e oficinas para fabricação de toques e tambores e percussão Nyabinghi.De volta ao Brasil, em sua bagagem Ras Ital B traz uma pesquisa de 7 anos sobre a música caribenha, convivendo em países como San Andrés, Trinidad e Tobago, Equador, Venezuela e Panamá. 

Suas músicas são influenciada pelos diferentes ritmos e sons experimentados, e inspiradas pela luz e liderança de Jah (Abreviação de Jeová) e a realidade que nos rodeia nos caminhos da vida.
A maioria de suas obras são cantadas em dialetos crioles (origem paterna, Guyana), muitas com versão em português e espanhol.Ras Ital B tem compartilhado o palco com grandes nomes da música nacional e internacional, tais como; Dada Yute, Leões de Israel, Semente da Paz,(Brasil), Simba Amlack (Guyana), Fidel Nadal (Argentina) Mad Lion, Buju Banton e Skatalites (Jamaica), entre outros...

----------------------------------------
 http://www.myspace.com/rasitalman

quarta-feira, setembro 12, 2012

FILOSOFIA ORIGINAL & LENNY FYA




















---------------------------------------------------------
A Banda "Filosofia Reggae Original " foi formada em 1998 por Ras Portuga e Veto ambos de São Caetano do Sul estado de São Paulo, no ano de 2000 a banda começou a participar de vários festivais dividindo palco com grandes artistas como Cidade Negra, O Rappa, Edson Gomes, a banda se destacava principalmente pelo carisma de Veto vocalista da banda.  O CD "Real Situação " começou a ser gravado em 2002, as primeiras músicas a serem gravadas foram África, De Quem é a Culpa, Real Situação, Minha Rosa, Leva a Vibração, mas a gravação foi interrompida em 7 de outubro de 2002, quando Veto foi covardemente assassinado por um policial militar em São Caetano do Sul.  Ras Portuga deu continuidade no trabalho montando a primeira banda formada por mulheres em São Paulo, neste recomeço a Banda Filosofia Reggae teve o apoio da banda Nação Regueira onde o vocalista Carlinhos Pontes compôs a música "Sentimento Bom" e Cremutho compôs a música, "Injustiça" (música feita em homenagem a "Veto"). Depois da gravação destas músicas o sucesso apareceu e o Filosofia Reggae estava nas principais rádios do Brasil e logo outros apoios surgiram, o guitarrista-solo Jonas Grilo e o Happer Liu Mr.  Ganhando de vez a cena reggae e tocando para milhares de pessoas logo o Filosofia Reggae estava nas principais coletâneas e eventos do estilo. Em 2005, Liu Mr e Ras Portuga comporam a música "Eu e Você", versão da música de Alton Ellis, "I'm Still in Love With You". Após emergirem "idéias diferentes" entre os integrantes da banda, todos os músicos deixaram o Filosofia, inclusive Ras Portuga e a banda continou a fazer shows da formação original não restou nenhum músico também saiu da banda a vocalista principal que interpretava os maiores sucessos da banda.  Ras Portuga é compositor e detentor dos direitos autorais da maioria das músicas e entrou com processo na justiça em 2006 referente ao nome da banda e ficou quatro anos trabalhando em projetos paralelos como a banda Roots Family.  Em 2009, Ras Portuga recebeu o direito de usar o nome Filosofia Original ,que também tem trabalhado como banda de apoio para vários artistas e bandas como Liu Mr, Fuá do Mandamento, o jamaicano Fat String, e Eek-A-Mouse, entre outros.  A banda segue fazendo vários shows em todo Brasil com Lenny Fya interpretando os maiores sucessos da banda como Sentimento Bom, Leva a Vibração, África, Injustiça e também as músicas novas, uma delas a música ´Se o dia não Terminar´ com participação do jamaicano Fat String, música que está sendo executada em varias rádios do Brasil. Lenny Fya, natural da zona leste de São Paulo (São Miguel Paulista) em sua história no cenário Reggae já participou de vários trabalhos como a banda Equilíbrio Rasta, Tribos e Raças, dividiu palco com grandes artistas como Edson Gomes, Eek-A-Mouse e também a banda Tribo de Jah.  Lenny Fya sem dúvida é um dos destaques de 2011, em novembro de 2011 lançou o CD e o DVD em parceria com a banda Filosofia Reggae Original "Pode Tentar Derrubar" que foi gravado no estúdio SP Music com produção de Ras Portuga (Filosofia Original), foi mixado e maxterizado por Dub Mastor (Cidade Verde Sound System), com participações de Denner Fulish (percussão), Carlos Eduardo (percurssão do Mato Seco) , Cauam drums (bateria), Sandro Chiaranda (guitarra solo), Thiago Rezende (baterista Mato Seco) , Eric de Oliveira, ( Guitarrista do Mato Seco) Kell Dasmaceno (backing vocal) e também o jamaicano Fat String .O disco foi  mixado e masterixado por  Dub Mastor, com músicas de protesto, temas de amor e também a palavra Rastafári, o disco foi lançado pela produtora Bong Produções.
---------------------------------
http://www.filosofiaoriginalelennyfya.com/

domingo, setembro 09, 2012

GIANNI ZION



























-----------------------------------------------------------------------
Gianni Zion, líder de uma das mais antigas e maiores bandas de reggae nacional, a cearense Rebel Lion, concedeu uma entrevista ao Groovin Mood falando sobre a cena nacional, a evolução da banda, e sobre reggae, claro, afinal Gianni é um dos grandes colecionadores de música jamaicana do país.
Groovin Mood – Quem são os membros da Rebel Lion?
Gianni Zion – Eu,Gianni – teclados, vocal (lead and backing), composições e arranjos ; Rafa Pickney – lead vocal, guitarra (solo e ritmo); Stefanni – lead vocal e guitarra ritmo ; Roger – baixo ; Tiago – bateria; Eliakin – teclado, backing vocals; Lucas – sax alto e tenor, percussão; Rômulo – trumpete e trombone, percussão.
GM – Todos se dedicam integralmente à Rebel Lion, ou exercem alguma outra atividade profissional?
GZ - A maioria possui outras atividades. Eu tenho mestrado em Agronomia e sou funcionário do Estado na área de recursos hídricos. O baixista tem um pequeno restaurante. Stefanni faz faculdade na área de hotelaria. Os demais exercem outras atividades ligadas à música: são músicos free-lance em “festas e eventos”, dão aulas de músicas ou atuam em estúdios de gravação.
GM – Todos os músicos são cearenses?
GZ - Sim, com exceção do Stefanni que é africano de Cabo Verde.
GM – O que vocês faziam antes de fazer parte da Rebel Lion?
GZ – Apenas eu permaneci da formação original. Agora temos músicos bem jovens, entre 20 e 25 anos, que antes da Rebel Lion atuavam em pequenos grupos de reggae e até de rock, ou apenas cursavam o segundo grau ou escolas de música, no caso do sopro, que veio de orquestras de sopro. Entretanto esta intensa renovação contribuiu para a expansão do reggae no Ceará, já que muitos músicos que começaram na Rebel saíram para fundar outras bandas como a Alma Negra, Pedra Rara e Black Feeling. No caso da Donaleda, uma das melhores bandas de reggae cearense, ela foi formada com a participação de quatro ex-integrantes da Rebel Lion.
GM – Quando a banda foi formada, e como?
GZ - A banda foi formada em julho de 1990. Desde 1976, eu já colecionava e pesquisava sobre o reggae, vinha compondo baladas soul e música brasileira, mas somente no fim da década de 80 senti que tinha conhecimento e inspiração suficientes para tentar compor meus primeiros reggaes. Decidi procurar gente para formar o grupo, cheguei a botar anúncio no jornal à procura de músicos.Não apareceram interessados, então juntei alguns músicos que já conhecia para iniciar o trabalho. Merece destaque nosso primeiro vocalista, o Utamma, que com sua voz e visual rasta tinha o feeling de um Bob Marley ao vivo.
GM – Quais as principais influências da Rebel Lion?
GZ - Como colecionador e pesquisador de reggae, acredito que seja quase impossível fazer roots reggae sem uma forte influência do ícone Bob Marley, sobretudo pela sonoridade do baterista Carlton Barrett e do seu irmão baixista Aston. A Rebel se destaca por seu estilo bastante semelhante ao típico reggae jamaicano da década de 70. Este som é obtido não só pela timbragem dos instrumentos, mas sobretudo pela linha melódica e pelos arranjos dos seus “riddims”. Além do clássico roots jamaicano (Gladiators, Ethiopians, Justin Hinds, Max Romeo, Twinkle Brothers, Wailing Souls, Gregory Isaacs, Linval Thompson, etc) a banda tem forte inspiração nos sons obscuros de nomes como Jackie Brown, Delroy Wilson, Johnny Clarke, Barrington Spence, The Tellers, African Brothers, Ken Boothe, Sang Hugh, Eagles, Junior Ross, o que faz a banda ter um espectro amplo dentro do que se pode chamar roots reggae, incluindo o roots rock, one drop, flying cymbals, rockers, roots lovers, rub-a-dub com umas pitadas de dub e dj. Os metais da banda tem influência da dupla Bobby Ellis e Tommy McCook (trumpete e sax tenor). Procuro improvisar uns djs ao vivo no estilo que fica entre U-Roy e Trinity. Para os dubs, a la Channel One, a banda contará em seu trabalho de estúdio com os mesmos equipamento usados na Jamaica, como e Spaceexpander Reverb e o Space Echo, além do órgão hammond e tambores nyahbinghi, que farão parte do arsenal.
GM – Gianni, você é um dos grandes colecionadores e pesquisadores de reggae do país. Quando e como começou essa paixão? E como anda sua coleção hoje?
GZ - Meu contato com o reggae foi por acaso. Em meados da década de 70 eu tinha o hobby de sintonizar emissoras internacionais em ondas curtas, através de um potente radio Transglobo. Ao mesmo tempo que isto aprimorou o meu inglês, deu-me oportunidade de pesquisar músicas de diversos países por curiosidade e pela afinidade com a música herdada pelos meus pais – minha mãe tocava piano, meu avô era organista de igreja e meu pai colecionador de discos eruditos e soul. Ao sintonizar um prograna da Voz da América para a África, no final de 1976, eu tive meu primeiro contato com o reggae. Aquele som simples, melódico e dançante e as vozes exóticas de Bob Marley, Burning Spear e Gregory Isaacs mecativaram de imediato. Com a sensação de ter feito uma “descoberta”, já que na época quase ninguém no Brasil conhecia o ritmo, eu passei a gravar fitas k-7 destes programas com um som bastante precário e divulgar para os amigos. Em 1978 comprei meu primeiro LP, Rastaman Vibration do Bob marley. A partir de 1979 passei a importar discos da Modern Sound do Rio e em 1980 encomendava gravações do Fã Club Bob Marley dos irmãos Ramalho, Rio de Janeiro. No início da década de 80 comprei discos de colecionadores do Maranhão, como Natty Naifson e Fauzi Beydoun da Tribo de Jah. No final da década de 90, graças às revistas The Beat e Reggae Report, descobri lojas internacionais como o Ernie B’s, de onde passei a importar LPs e compactos raros de reggae. Com a internet, no início da década de 90 abriu-se um leque de fontes para importar as raridades de lojas da Inglaterra, Suíça, EUA e Canadá, etc. Foi em 1995 que pude realmente expandir a coleção com a minha primeira viagem à Jamaica. Foram 14 dias com uma vitrola portátil na mão de loja em loja na caça aos vinis jamaicanos. As fontes mais pesadas na ilha eram a Randy’s, a mesma do estúdio em que o Bob gravou de 1971 a 1974, a Aquarius, com seus milhares de compactos raros e as lojas do Studio One e do cantor Derrick Harriot.Desde então fiz mais 2 viagens à Jamiaca, 3 aos EUA e uma a Londres com o objetivo de comprar discos de reggae. Ao mesmo tempo permaneci comprando de lojas internacionais e no novo milênio através de E-bay. Um grande aumento de raridades no meu acervo aconteceu quando adquiri a coleção completa do magnata maranhense Jr. Black e algumas raridades do Ferreirinha, dono da radiola Estrela do Som e de outras djs de São Luís. Entre os destaques da coleção que conta com mais de 6 mil discos de vinil (lps e compactos) alguns destaques são a coleção completa do Gladiators (LPs, 12” e compactos) e LPs raríssimos do Keith Poppin, Jackie Brown, Prince Brothers, Eric Clarke, More Relation, Bobby Davis, Tru-Tones e compactos que valem ouro no Maranhão como o melô de Fátima (Feel the Vibration do Don Taylor). Vale ressaltar que 95% dos discos compreende a melhor fase do roots reggae, de 1971 a 1982.
GM – Como foi tocar com grandes nomes do reggae, como Eric Donaldson, Owen Gray, Wailers?
GZ - O que mais chama a atenção quando estamos diante desses legendários nomes do reggae é a humildade deles. São pessoas simples e acessíveis, sem frescuras de superstars. A primeira experiência em dividir o palco com um grande nome jamaicano foi o segundo show do Jimmy Cliff em Fortaleza, ainda por volta de 1993. Era um show acústico onde o Jimmy usaria apenas teclado e guitarra. Como a Rebel Lion era a banda que iria abrir o show, acabamos por ter um intenso contato com o artista na passagem do som e o Jimmy tocou com o meu piano elétrico Rhodes e nossa guitarra, além de passear pela cidade conosco.
Abrir o show dos Wailers foi outro momento, marcante, sobretudo pela oportunidade de conversar por mais de 1 hora com o grande baixista Aston Barrett. Neste show fizemos contato também com outros músicos originais do Wailers como o tecladista Earl Wire Lindo e o guitarrista Al Anderson, além do baterista da épocaMichael Boo Richards e a irmã do Aston que estava no back vocal.O mesmo ocorreu quando abrimos os shows do Clinton Fearon, Gregory Isaacs e o Steel Pulse, quando rolou longos bate-papos com estes artistas, e em especial o líder vocal do Steel Pulse David Hinds. Vale ressaltar a extrema simpatia dogrande Clinton Fearon (ex-Gladiators). O contato com o Gregory foi um tanto decepcionante devido a sua relação com drogas.
Em alguns shows que a Rebel abriu eu atuei como promoter, quando era um dos sócios do histórico clube de reggae Canto das Tribos, sendo o contato com os artistas ainda mais proveitoso. Foi o caso dos Gladiators e Alpha Blondy. Mas nada se compara a tocar com o artista, nos shows que a Rebel atuou como banda de acompanhamento, quando tive a oportuniudade de ensaiar na minha própria casa com nomes históricos como Owen Gray, Eric Donaldson, Jackie Brown, Tiken Jah Fakoly e recentemente Larry Marshall. Temos imagens amadoras, mas raríssimas dos ensaios com estes artistas.
GM – O que vocês tem de material gravado em estúdio?
GZ - Apesar de a gente possuir mais de 50 shows ao vivo gravados em cd ou md, guardados como arquivo da banda, temos pouco material gravado em estúdio. Nosso único CD “Canto das Tribos” foi lançado em 2005 de forma independente. Algumas gravações de estúdio vazaram e estão saindo em CDs não oficiais juntamente com gravações ao vivo. Entre elas: The Time Has Come (própria), My Mind (versão do Hugh Mundell), Have You Ever Seen the Rain (do Creedence) que foi bem tocada em São Luís e Wicked Babylon (própria) – conseguiram uma cópia dela no estúdio que nem havia sido mixada ainda. Gravamos também, sem lançar ainda, algumas das minhas composições: Razão de Ser, Capital do Reggae e Chant & Pray. Atualmente estamos gravando o primeiro cd de estúdio.
GM – As composições da banda feitas em patwa, desde quando elas são escritas, e como foi esse contato com o dialeto?
GZ - Comecei a compor reggae em 1987, antes gostava de compor baladas soul e música instrumental, só como hobby. Desde o início a maioria das letras eram em inglês. A medida que eu fui compreendemndo melhor o patwa eu fui incorporando o dialeto nas composições, sempre buscando fazer o nosso som o mais próximo possível do autêntico reggae jamaicano. Como já tinha facilidade com o inglês, conseguia enterder muitas letras de reggae jamaicano. Ao realizar 3 viagens para a Jamaica e ao hospedar por longos períodos o brother jamaicano Ivor Jones na minha casa, facilitou muito meu contato com o patwa. Fiz também muitas pesquisas na Internet e adquiri na Jamaica alguns livretos sobre o dialeto e inclusive uma gramática de patwa.
GM – E o gosto pessoal dos músicos? O que vocês ouvem em casa? Costumam ir nas festas de reggae?
GZ – A formação atual da Rebel, que é bastante jovem, tem mais músicos do que regueiros. Contudo minha forte paixão e conhecimento do ritmo compensa essa falta. Mas hoje todos se apaixonaram pelo ritmo e alguns passaram a ouvir muito mais o reggae. Eu sou aficionado pelos compactos de vinil do reggae jamaicano gravados entre 1971 e 1982. É comum aqui em Fortaleza as “seções de reggae”, quando se reúnem os antigos colecionadores e alguns músicos para curtir o bom reggae roots, alternando entre vinil, cds e vídeos. Aqueles que apreciam até fazem sua meditação natural a Jah. Minha obsessão pelo reggae me levou a pesquisar e colecionar outros estilos musicais que possuem alguma relação com o reggae e que eu ouvia no final da década de 70, antes de eleger o reggae como música da minha vida: R&B dos anos 50 e a soul music das décadas de 60 e 70, que inspirou tanto o próprio reggae; o calypso e o soca de Trinidad & Tobago, o irmão mais próximo do reggae em todo o Caribe; o Conpas e o Cadence do Haiti e Antilhas francesas; Soukous do Congo-Zaire a melhor música do continente africano. Recentemente eu descrobi um ritmo que aos poucos conquista os regueiros cearenses, o Spouge criado na década de 70 na ilha de Barbados, um ritmo impressionante próximo do roots reggae e bastante raro, vale a pena pesquisar.
Quanto às festas a gente sempre confere os shows das outras bandas locais de reggae e dos nomes jamaicanos. Aqui rola umas festas com DJs de reggae tocando direto do vinil, só pedradas roots e de vez em quando estou numa dessas com minhas bolachas!
GM - Como anda a cena de reggae no norte e nordeste do país, especialmente no eixo Ceará-Maranhão? Como colecionador, o que você tem percebido em relação aos pesquisadores e colecionadores brasileiros, suas coleções, se há muitos discos raros, se a vitrola tem sido trocada pelo CDJ, as radiolas…
GZ - No Ceará a gente percebe uma forte resistência roots, tanto na seqüência dos DJs, como no repertorio das bandas que muitos se inspiram no estilo Rebel e nos clássicos roots do Bob, Jacob Miler, Gregory, Burning Spear, etc. Algumas bandas assumiram a tendência roots mais meditativa do Ponto de Equilíbrio. O fechamento do principal point do reggae no Ceará, O Canto das Tribos, foi uma grande perda que esfriou a cena por algum tempo. Hoje contamos com o Reggae Club, que vem reunindo novamente a galera e algumas barracas de praia que sempre investiram no reggae, como a Biruta. Alguns DJs como o Mr. Gazos, apesar da grande bagagem no roots reggae, estão cada vez mais introduzindo o new roots e até um pouco de ragga nas festas atraindo um público diferenciado. Aqui existe um pouco daquela rivalidade roots X new. Algumas iniciativas isoladas estão permitindo a continuação da vinda de importantes nomes do reggae internacional para Fortaleza. Recentemente tivemos Larry Marshall, Midnite e Clinton Fearon.
No Maranhão, percebe-se o crescente domínio das produções locais no circuito reggae, o que é bom pelo desenvolvimento de uma indústria musical própria, mas também traz muita produção imatura e descartável, apesar de bons compositores como o Dub Brown. Sabemos que lá também existe uma resistência roots que se manisfesta em festas de radiola específica de “recordação” e alguns bares com som mecânico que só toca os sucessos clássicos e antigos das radiolas.
GM – Quais são os atuais projetos da banda?
GZ - A banda está em plena gravação do seu primeiro cd de estúdio que terá 15 faixas, sendo todas minhas composições. Como diferencial teremos uma faixa instrumental, uma versão DJ de uma das faixas cantadas e uma remixagem dub, no velho estilo Channel One / King Tubbys.Entre as músicas incluídas estão alguns clássicos na Rebel como Rebellion, Razão de Ser, Chant & Pray, Capital do Reggae, Nossa Filosofia e América e algumas da nova safra como Rasta Today, Slaving Everyday, Regra do Jogo e So Dread. Uma surpresa será a participação do legendário Eric Donaldson cantando uma pedrada da Rebel Lion, Peace and Rest. Escrevi mais de 80 composições roots reggae, que esperamos gravar em mais uns 5 CDs a serem lançados no futuro.
GM – Algo a dizer para os fãs, e mesmo para os que estão conhecendo agora a banda?
GZ - Primeiro é que ninguém deve estranhar que uma boa banda de roots reggae venha de Fortaleza, a terra do forró, primeiro porque aqui temos regueiros das antigas e vários conhecedores e colecionadores do melhor roots reggae jamaicano. Há muita comunicação e influência dos nosso estado companheiro o Maranhão. A Rebel Lion, apesar de não muito conhecida fora do Nordeste, vem recebendo positivos comentários de que escuta pelo fato de a gente fazer um reggae muito próximo do reggae jamaicano da década de 70. É muito gratificante o respeito e admiração que temos tido de grandes bandas que conheceram pessoalmente o nosso trabalho, como a Tribo de Jah, Ponto de Equilíbrio, Leões de Israel, Natiruts, Cidade Negra, etc. ..
------------------------------------
 http://groovinmood.com/tag/gianni-zion/

sábado, setembro 08, 2012

REBEL LION

















 ---------------------------------------------------------------------
A Rebel Lion representa uma rebelião musical em Fortaleza. Formada em 1990 é uma das bandas com maior tempo de atividade no cenário musical cearense ,sendo responsável pela introdução do reggae no estado. Sua sonoridade é bastante próxima do reggae jamaicano da década de 70, buscando a diversidade rítmica do reggae raiz através dos estilos: roots, rockers, dj, dub e rub-a-dub. O líder, Gianni Zion, há mais de 25 anos pesquisa e coleciona discos de reggae, tendo realizado visitas à Jamaica, Inglaterra e USA em busca de mais conhecimentos sobre o reggae. Zion é também o compositor e arranjador da banda com quase 100 músicas próprias. A Rebel, como pioneira no estilo, inspirou a formação de outros grupos de reggae em Fortaleza como Tribo de Leões, Nação Regueira, Donaleda, Alma Negra, etc. Desde 1991, a banda promove o evento mais tradicional do reggae cearense, o Tributo a Bob Marley.  Durante sua trajetória, a banda já dividiu os palcos com os maiores nomes do reggae mundial: The Wailers (banda de Bob Marley), Alpha Blondy, Steel Pulse (Inglaterra), Gladiators, Jimmy Cliff e Gregory Isaacs e nacional: Cidade Negra, Natiruts, Edson Gomes, Olodum e Tribo de Jah, além de acompanhar os legendários artistas jamaicanos Eric Donaldson, Jackie Brown, Larry Marshall, Owen Gray e o africano Tiken Jah Fakoly, em shows no Brasil. Dois desses grandes nomes jamaicanos gravaram composições da Rebel Lion: Eric Donaldson (Peace and Rest) e Jackie Brown (Wicked Babylon), músicas que estarão no tão esperado CD de estúdio da banda, que deverá ser lançado este ano. O som da banda cearense já bate forte em outras capitais como Recife, Brasília, Salvador, São Luís, Teresina e Belém. O grupo já se apresentou em praticamente todas as casas de shows de Fortaleza e participou de cenas da novela Tropicaliente e no Festival Canta Nordeste da Globo, além de tocar em 3 edições do Cearámusic, principal evento musical do Ceará.  Brevemente a Rebel estará lançando o seu primeiro CD de estúdio, mas o público já curte os Leões Rebeldes através de vários CDs de shows ao vivo, sendo alguns lançados de forma independente pela banda.  Nos shows, além das "pedras" próprias, a banda interpreta nomes clássicos do reggae: Bob Marley, Gladiators, Burning Spear, Gregory Isaacs, Jacob Miller, Max Romeo, etc. As composições são escritas em português, inglês e até no dialeto jamaicano patwa, criando o puro clima do som jamaicano, com temas de protesto social, sobre a cultura reggae-rasta e românticos, no melhor estilo "lovers rock". A banda emplacou 2 grandes sucessos de público "Razão de Ser", cuja mensagem de otimismo conquistou os regueiros cearenses e a versão de "My Mind" de Hugh Mundell, conhecida como "Melô do Canto das Tribos". Atualmente a Rebel tem priorizado mais o trabalho próprio, com dezenas de composições que não saem da "radiola" do regueiro cearense, entre elas: Wicked Babylon (lançada nacionalmente no cd Reggae Roots vol. 14); Rebellion (um clássico da banda inspirado na banda jamaicana Gladiators), Capital do Reggae (em homenagem ao reggae no Maranhão), Nossa Filosofia, América, See Jah, Chant and Pray, Jah Warrior e as mais recentes: Time is Hard, Leggo the Lion, So Dread, Fire Down Babylon e Slaving Everyday.  Formação: Gianni Zion - teclados, vocais, composições e arranjos; Rafa Pickney - vocais e guitarras; Tiago - bateria; Roger - baixo; Eliakin - Teclados; Orlando -Guitarras; Lucas - sax tenor, e Artur - trompete..
--------------------------
http://palcomp3.com/bandarebellion/

quarta-feira, setembro 05, 2012

IGOR ROLIM & THE ZION LAb.






















 -----------------------------------------------------------
A Zion LAb.,de Igor Rolim And ZionLab.,de Florianópolis,Santa Catarina, é um laboratório onde viza projetos com a música levando a palavra do mais alto Jah com toda a simplicidade de sua majestade trazendo a todos os I-rmãos musicas espirituais com o intuito de divulgar o trabalho de varios artistas inspirados na cura que o amor de Deus Jahoviah nos traz a cada dia, e lembrando de nossas raízes e da origem de toda a vida na África.
 Já gravaram álbuns como "Dub in Lab Vol. 1" (Produção: ZionLab),ZionLab produções apresenta Igor Rolim " A Voz da Etiópia ",a coletânea ´The Power O Speeches´ ,álbum complilação de vários artistas: Igor Rolim ,RafharI ,Ras Sansão e Thiago Ermel..
 Boa Meditação a Todos, Benção e Amor!.. Haile Selassie I,Bendito Amor..
------------------------
http://www.myspace.com/zionlab

segunda-feira, setembro 03, 2012

RAS EDNALDO SÁ






















--------------------------------------------------------------------
Considerado Reggae Man do Centro Antigo de Salvador (CAS), ativista social, produtor musical, cantor, compositor, instrumentista e intérprete,Ras Ednaldo Sá iniciou carreira no final da década de 1980, tocando guitarra e cantando musicas da própria autoria numa banda de hard rock. O músico entrou para a história do Reggae tupiniquim e internacional em 2005, com o álbum "Cultural Reggae" gravado em Salvador, depois prensado e distribuído na Europa pela gravadora Universal Music da Suíça. Porta voz do Reggae Roots, tem o compromisso de difundir o inestimável legado Abissínio etíope de "Rastafari Haile Selassie I" como movimento pan-africano. Nos shows e na bagagem a experiência de 20anos de estrada, mesclado com o tradicional balanço da musicalidade de raiz. Repertório de musicas autorais consagradas pelo público, além de interpretações e releituras em inglês de canções de ícones do reggae mundial. Único artista do seguimento reggae em Salvador que teve álbum com músicas inéditas lançado e distribuído na Europa. Remanescente da banda Bem Aventurados Roots Reggae e membro da comunidade Rocinha / Pelourinho, onde desenvolve trabalho social com as famílias local. A banda acompanhante denominada de "Tribo" nasceu das entranhas do Pelourinho no ano 2000, vislumbrando dar prosseguimento a trajetória de difusão da musica reggae na comunidade e conseqüentemente no Estado da Bahia e no mundo. Precurssor e articulador do Coletivo de Atrações e Bandas de reggae da Bahia denominado "Coletivo Reggae Em Movimento" através do qual desenvolve projetos e eventos em Salvador de resgate e promoção do seguimento. Comunicador, apresentou durante cinco anos na Rádio Comunitária FM.COM 103,5 o programa Celebração das Raízes, localizada na periferia de Salvador. Na programação entrevistas, musica Reggae voltada para a ampliar o Conceito de Igualdade de várias comunidades afro-decendentes da cidade que é considerada a mais africana do Brasil. Também atuou como locutor na Radio Educadora FM da Bahia e repórter comunitário na Rádio Zona localizada no (CAS). Coordenador Executivo da produtora cultural Eu e Eu Produçoes, por meio da qual representa atrações e bandas do Estado em eventos. Coordenou durante dez meses em 2011 o projeto Dia D do Reggae no Pelourinho\Largo Pedro Archanjo aberto ao publico, com participações de bandas\atrações do estado da Bahia. O músico recentemente gravou o primeiro videoclipe da carreira intitulado "Cidade África" em homenagem a cidade de Salvador. A produção das imagens ficou por conta da TV Pelourinho-TV Jovem . Rastação é o nome do atual show em formato acústico (voz e violão) e\ou elétrico (com banda) e título do novo álbum.
------------------------------------
 http://www.myspace.com/rasednaldosaetribocultural.

sábado, setembro 01, 2012

NOÇÃO RASTA






















 ------------------------------------------------------------
A banda Noção Rasta é um dos grandes nomes da música reggae nacional independente. Atualmente com 13 anos de existência, a banda possui fãs em diversos lugares do Brasil e, até mesmo, em outros países. Noção Rasta já se apresentou em grandes festivais, com público superior a 14 mil pessoas, e já dividiu palco com importantes bandas nacionais e internacionais como Tribo de Jah, Groundation (Califórnia) e Israel Vibration (Jamaica). Noção Rasta foi fundada na cidade do Rio de Janeiro em 1999, mais precisamente no bairro Grajaú (local apelidado de Grajamaica devido à forte influência do referido ritmo na região). Desde então vem desenvolvendo um trabalho sério que mescla as raízes do reggae raiz com outras influências como jazz, música africana, música indiana, mpb e rock. A formação da banda Noção Rasta é: André Dy Oliveira (voz e guitarra), Marcus dos Santos (teclados e backing vocals), Luiz Fernando (guitarra), Felipe Branco (percussão e backing vocals), Felipe Teixeira (baixo), Renato Carvalho (bateria),Cisão (saxofone) e Fabinho Teixeira (trompete e backing vocal). A banda Noção Rasta já emanou suas “vibes” em diversos lugares de peso no cenário cultural brasileiro como Ginásio da Portuguesa (SP), Circo Voador (Lapa, RJ), Leviano Bar (Lapa, RJ), Espaço Multifoco (Lapa, RJ), Centro Cultural Rasta Brasil (Sana, distrito de Macaé), Espaço Néctar (Vargem Grande, RJ), Casa Rosa (RJ), Kazebre (Zona Leste, SP), Lona Cultural de Bangu (RJ), Evento Circulando - Projeto Raízes em Movimento (RJ), Conceptione Pub (RJ), Cine Lapa (RJ), SESC Campos (Campos dos Goytacazes, RJ), Bar Arpex (Campos dos Goytacazes, RJ), Posto 9 (São João da Barra, RJ), Estância Alto da Serra (São Bernardo do Campo, SP), dentre outros. Na grande mídia, a banda Noção Rasta realizou apresentações no programa Atitude.com (TV Brasil) e na Rádio Nacional (RJ). Na Internet, a mídia alternativa do momento, o material da banda também é bastante procurado. Um exemplo disso é o vídeo da canção “Tranças Naturais” que apresenta mais de 100 mil acessos. Um feito raro para uma banda independente. Em sua discografia, a banda conta com três discos, sendo o primeiro um CD demonstração com quatro músicas. O segundo álbum foi batizado como "Som Roots, A Verdadeira Meditação" e foi lançado pela gravadora Kaskatas Record's, da cidade de São Paulo. Seu CD seguinte foi lançado no formato “single” e é conhecido como "1930". Este CD “single” trouxe uma faixa bônus que é uma versão em DUB – remix onde se retira grande parte dos vocais, dando valor ao baixo e bateria, e onde se inclui efeitos sonoros - da faixa título. Em 2011 foi lançado pela internet o single “Mantra Om”. Em 2012 Noção Rasta lançou o single “Pense Antes”, também, na Internet. Esta faixa, assim como “Mantra Om”, farão parte do próximo CD da banda intitulado “Tempo de Amar” e com previsão de lançamento até o final do ano...
--------------------------
 http://nocaorasta.blogspot.com.br/

quarta-feira, agosto 29, 2012

RONNIE GREEN

















 -----------------------------------------------------------------------
Ronnie Green de nome verdadeiro Rone Ney Marques Gonçalves, nascido em Porto Rico, cidade do Maranhão atualmente mora na Capital São Luís do Maranhão, Ronnie Green tem 29 anos de idade e 13 anos de carreira no Reggae. Uns dos seus maiores sucessos são as musicas Ghetto e Fofoqueiro. Ronnie Green tem várias parcerias com as cantoras Mirian Black e Rosy Valença. Ronnie Green é uns dos melhores cantores e compositores de Reggae do Brasil na atualidade.
Ronnie Green e Conexão Jah Reggae Band.A história da banda de reggae paraense com raízes no Maranhão ´´Conexão Jah Reggae Band´´ou simplesmente Conexão Jah iniciou-se em 2000 através de grandes influências dos sons caribenhos,como soca,calypso,salsa e outros de grande popularidade das ilhas tropicais sul-americanas juntamente com o grande expoente de sua musicalidade: A música de raiz brasileira, do choro e noitadas maranhenses foi fortalecendo a idéia de se expressar atravéz da musica. Assim foi aumentando o amor pelo próximo e a coragem de lutar com as palavras em favor dos povos mais humildes,e o dom de compor, grandes dificuldades que nos dá a força para seguirmos em frente sabendo que haverá um lugar melhor no fim da estrada. Nosso trabalho é levar ao público mensagens de paz e conforto lembrando que o Rei dos Reis há de voltar e o fim dos tempos está muito próximo.Componentes: • Chiman – vocalista, considerado um dos mais promissores front man do Reggae maranhense na atualidade; • Ronnie Green – cantor,compositor e grande intérprete de grandes hits; • Gleydison(Chita) – guitarrista solo, músico de grande habilidade, multi -instrumentista é a força das novas influencias na banda onde compõe e arranja grandes músicas; • Tiago (Black) – guitarrista base, grande músico muito conhecedor dos novos ritmos do reggae compositor de grandes hits ; • Cristina Santos – back vocal,de grande reconhecimento do público maranhense; • Nelson – baixista, destaque pela sua habilidade como instrumentista; • Algusto – baterista, integrante com passagem em uma grande banda de Rock em Belém a banda Baby Loyds, um grande profissional e amigo. “ Todas as pessoas deviam se unir Para fazer um mundo melhor . Nós como Banda temos a missão de transmitir paz e conforto espiritual ás pessoas que queiram ouvir a palavra de Jah.” Alguns Shows de destaque: • Festival de música Reggae music – interpretação; • Mirante fm – Festival de Reggae; • Planta e Raiz e Alpha Blondy; • Reggae pela paz – em Brasília; • Trama musical – uma das bandas revelacões em 2006. “ Oh Jah ilumine o coração de nossos opressores pra que nos libertem desse cativeiro porque nos so desejamos o melhor para os que nos ferem ”
--------------------------------
http://augustopesquisador.blogspot.com.br/2009/05/ronnie-green.html

terça-feira, agosto 28, 2012

ODOIÁ






















 --------------------------------------------------------------------
Há oito anos, enquanto nadava em Santa Terezinha, no Litoral Norte gaúcho, o músico Luano Soares esteve à beira da morte.Ele afogou-se e, por alguns momentos, achou que não resistiria.
Foi quando, conta, enxergou a imagem de Iemanjá. Desde então, por considerar-se abençoado, usa a expressão Odoiá, uma saudação à rainha do mar, para celebrar a vida.
Foi com esta inspiração que surgiu em 2001 a banda Odoiá, que faz reggae de raiz. O grupo, nascido no Bairro Bom Jesus, passou por várias formações. Hoje, conta com luacas (baixo), Matio (guitarra), Linguiça (bateria), Caveirinha (guitarra) e Walmor (teclado), além de Luano no vocal.
Engana-se quem pensa que canções consagradas do Rei do Reggae, Bob Marley, como Is This Love e Redemption Song, passam pelo repertório dos gaúchos.
Seria clichê demais. Se dedicam a tocar outros nomes como O Rappa, Ponto de Equilíbrio e Natiruts. Até porque a banda tem músicos que vêm de todos os ritmos ,explica Luano.
- Músicas têm mensagens:
Com um CD gravado ´´No Caminho da Paz´´, com 11 faixas próprias , o grupo apresenta-se em casas da Região Metropolitana e no Entre Bar, na Cidade Baixa. O disco foi feito de maneira quase artesanal, em um estúdio montado na casa de Luano, na Bonja, onde eles também ensaiam.
Com canções como Esse É Meu Lugar e No Caminho da Paz, os regueiros passam a sua mensagem de paz e de união entre os povos , traço típico das letras de Bob Marley.
Por morar perto de locais onde a droga corre solta, especialmente o crack, o Odoiá usa a música para conscientizar os jovens para que fiquem longe disto.
Sabemos que a música é um agente que tem o poder de afastar a galera da pedra , afirma Luano.
-----------------
Odoiá:
Luano Soares: Vocal
Mátio: Guitarra solo
Kaverinha: Guitarra base
Lucas: Contra baixo
Marcelo : Percussão
Fabio: Bateria
 -----------------------------------------------
 http://palcomp3.com/odoia/